A carregar...

Redes de Terras - Resistividade do solo

Redes de Terras - Resistividade do solo

Em termos teóricos a resistividade de um solo não é mais do que a resistência medida entre duas faces opostas de um cubo, de composição homogénea, com um metro de aresta. A sua unidade é o ohm.metro. A resistividade do solo depende essencialmente da composição do terreno (solo arável, areia húmida, betão, gravilha...) e também do comportamento sazonal. Um solo húmido apresenta uma resistividade inferior a um terreno seco.



 

Valores aproximados de resistividade em função dos diferentes terrenos:


Natureza do terreno

Resistividade em ohm.metros 

Terreno pantanoso

Lodo

Terra vegetal

Turfa húmida


Argila plástica

Terra calcária ou argila compacta

Terra calcária do jurássico


Areia argilosa

Areia de sílica

Solo rochoso nu

Solo rochoso nu coberto de relva


Calcário mole

Calcário compacto

Calcário gretado


Xistos

Micaxisto


Granitos e grés alterados

Granitos e grés muito alterados

0 a 30

20 a 100

10 a 150

5 a 100


50

100 a 200

30 a 40


50 a 500

200 a 3.000

1.500 a 3.000

300 a 500


100 a 300

1.000 a 5.000

500 a 1.000


50 a 300

800


1.500 a 10.000

100 a 600



Em termos práticos deseja-se que a resistividade do solo seja a mais baixa possível pois assim iremos obter baixos valores de resistência de terra. A principal vantagem de baixos valores de resistência de terra é o mais fácil escoamento de correntes indesejadas nos circuitos das nossas instalações eléctricas.


Porquê medir a resistividade do solo

A medição da resistividade do solo é de extrema importância para um bom dimensionamento de uma rede de terras. Trata-se de uma medida preventiva pois previne situações em que se efectua redes de terras considerando boas resistividades e ao medir a resistência de terra, esta é de valor elevado. Poderá então proceder-se a uma melhoria do valor desta resistência, colocando mais eléctrodos, aplicando compostos de melhoria do terreno, aplicando eléctrodos tipo chapas de cobre, etc.


Poderá ainda acontecer que estas melhorias não sejam suficientes e seja necessário repensar todo o dimensionamento da rede de terras. Em obra, todo este trabalho equivale a tempo perdido e aumento do custo dos materiais não orçamentados a aplicar.


Medição da resistividade do solo - Método de Wenner

O método, como é conhecido, consiste na colocação de 4 eléctrodos numa linha que atravessa a parte do terreno onde se pretende medir a resistividade do solo.

1. Os eléctrodos deverão ser colocados em linha, respeitando escrupulosamente a distância entre eles, que deverá ser constante e no mínimo 3 vezes o comprimento dos eléctrodos.

2. Os eléctrodos deverão ser colocados a uma profundidade mínima de 1/3 da distância entre eles.

3. Bastará agora colocar o selector em 4 poles e carregar em start.


De modo a minimizar uma leitura incorrecta é aconselhável que se repita este teste em vários eixos e em várias profundidades de modo a que se obtenha um padrão estatístico da resistividade do solo a medir.


Para calcular a resistividade do terreno teremos que usar a seguinte fórmula:


 Fórmula1


a equivale à distância entre estacas e R é o valor medido no equipamento, neste caso 75,4 ohms.


Neste caso prático, se estivermos a usar a distância de 3 metros entre estacas podemos realizar o seguinte cálculo:


Fórmula2


Este valor indica-nos que estamos perante um terreno com uma resistividade muito alta e se não projectarmos à partida uma boa rede de terras iremos ter muitas dificuldades em obter um regulamentar valor de resistência de terra. Poderemos então pensar em conceber uma rede de terras que nos garanta um baixo valor de resistência de terra e assim estar preparado para as dificuldades que irão estar presentes.


Nos casos em que o valor de terra admissível seja difícil de obter, poderão ser utilizados eléctrodos de grafite juntamente com um composto de melhoramento de terras do tipo GEM.


Serviços QEnergia

A QEnergia disponibiliza-se para os esclarecimentos que possam ser necessários tanto ao nível do estudo efectuado, na análise de risco, como na solução proposta.

 
Verificação de Instalações Eléctricas
Termografia
Qualidade da Energia
Medição de vibrações
Certificação Energética de Edifícios
Contadores e analisadores para quadros eléctricos
Ferramentas para Gestão de Energia
Correcção do Factor de Potência
Transdutores
TI's - Transformadores de corrente
Data Loggers
Monitorização de baterias
Protecção contra descargas atmosféricas
Redes de terra
Proteção contra Sobretensões
Sinalização luminosa
Detectores de Presença e Movimento
Receba notícias nossas:

A carregar...